Caminho da Carrasca, Ilha do Faial

Assinatura do contrato da empreitada de obras públicas para a empreitada de construção e beneficiação do caminho da Carrasca, no Perímetro de Ordenamento Agrário de Feteira/Castelo Branco, Ilha do Faial, com a empresa Afavias – Engenharia e Construções – Açores, S.A., no valor de 218.000,00 € e com um prazo de execução de 150 dias. A empresa vencedora do concurso, é aqui representada pelo Sr. º Eng.º Pedro Brito.

A IROA, S.A. continua a contribuir para o melhoramento de infraestruturas na agricultura, beneficiando assim todos os nossos agricultores.

Empreitada de Construção e Beneficiação do Caminho dos Peixotos – Ilha de São Miguel

João Ponte afirmou que investir na melhoria das infraestruturas é construir o futuro da agricultura

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, afirmou hoje que investir na modernização e melhoria das infraestruturas agrícolas é construir e capacitar o futuro de um setor, que tem uma grande importância para o desenvolvimento económico dos Açores.

“Para o Governo dos Açores é sempre um momento importante este tipo de evento, porque no fundo estamos a construir o futuro da Agricultura, que tem grandes desafios pela frente, desde logo uma maior valorização das produções locais”, referiu João Ponte na cerimónia da assinatura do contrato da obra de beneficiação do Caminho Agrícola dos Peixotos, no Perímetro de Ordenamento Agrário (POA) da Zona Central de São Miguel.

Esta obra, da responsabilidade da IROA, S.A, representa um investimento de 305 mil euros, abrangendo cerca de 3 quilómetros, que vão beneficiar o acesso a 28 explorações agrícolas.

João Ponte destacou que o Governo dos Açores continuar empenhado e focado em investir em todas as ilhas, para no fundo dar melhores condições de trabalho a todos os agricultores.

O governante frisou, também, que ainda ontem autorizou a abertura de um concurso público para a aquisição e instalação de um equipamento de tecnologia de ponta no Laboratório Regional de Veterinária, um investimento superior a 300 mil euros, que será fundamental para a indústria, pois permitirá, entre outras coisas, efetuar a deteção de cloratos no leite.

Para João Ponte quer o investimento de ontem, quer este de hoje são dois bons exemplos da atenção que o Governo Regional continua a dar a um setor estratégico para o arquipélago.

“Investimentos como este que será feito no caminho agrícola dos Peixotos, contribuem para dar melhores condições de trabalho, reduzir custos nas explorações, melhorar a eficiência e, por isso mesmo, são fundamentais ao setor”, considerou o Secretário Regional da Agricultura e Florestas, acrescentando que também têm efeito ao nível da gestão das explorações e do rendimento dos agricultores.

O governante salientou que no caso das explorações leiteiras o rendimento está muito associado ao preço do leite pago ao produtor pelas indústrias, uma componente onde existe, como é público, grande instabilidade, daí ser fundamental aos agricultores terem outras possibilidades para conseguirem reduzir custos, como por exemplo os investimentos que o Governo tem vindo a fazer na modernização das infraestruturas agrícolas.

“Este contributo do Governo dos Açores é muito importante e vamos continuar a investir, quer nas acessibilidades, quer no abastecimento de água”, assegurou João Ponte, que espera, em breve, assinar o contrato de adjudicação do reforço do abastecimento de água, que vai beneficiar o Perímetro do Ordenamento Agrário da Zona Central da ilha de São Miguel.

GaCS/RM

Empreitada de Construção e Beneficiação do Caminho Agrícola Cs8 – Caminho do Ginjal no Poa Bacia Leiteira do Paúl – Ilha Terceira

A Secretaria Regional de Agricultura e Florestas, através da IROA, S.A. lançou o concurso público para a Empreitada de Construção e Beneficiação do Caminho Agrícola CS8 – Caminho do Ginjal no POA Bacia Leiteira do Paul – Ilha Terceira com o preço base de 262.000,00€.

Este investimento compreende a construção e beneficiação do Caminho Agrícola – Caminho do Ginjal, situado na freguesia do Porto Judeu, beneficiando cerca de 47 explorações de agropecuária e 235 hectares de superfície agrícola útil. É um caminho secundário com um perfil de 4,5 m, com 2940 m de comprimento, em que os trabalhos da empreitada consistem na colocação de um piso em betuminoso de 5 cm, alguns troços de muros de pedra, elementos de drenagem em valeta de betão de 0,5 m, descargas de água e poços absorventes. Pela sua localização é uma via importante no domínio das acessibilidades, comunicando com quatro caminhos agrícolas, melhorando assim, as condições de trabalhos das explorações, reduções de custos e aumento da competitividade do setor agrícola.

 

IROA/ES

Empreitada de construção do caminho do Valongo, Água de Pau – POA da Lagoa

Assinatura do contrato da Empreitada de Construção do caminho do Valongo, Água de Pau, Perímetro de Ordenamento Agrário da Lagoa, com a empresa Marques, S.A, no valor de 58.750,00 €, com um prazo de execução de 60 dias.
Esta obra consiste na construção de um caminho agrícola com cerca de 510 metros de comprimento e 4 metros de largura, beneficiando cerca de 17 explorações agrícolas numa área de 36 ha.
A IROA, S.A. continua a contribuir para o melhoramento de infraestruturas na agricultura, beneficiando assim os todos os nossos agricultores.

 

IROA/ES

Empreitada de Construção do Caminho do Portal Grosso (CS29)

A infraestrutura que agora se inaugura representa um passo mais na estratégia de atuação da IROA, S.A. que, neste ano, foi norteada pelos objetivos de promover o desenvolvimento sustentado das zonas rurais, incentivar a modernização e diversificação da agropecuária, contribuindo para a melhoria da competitividade da produção regional e elevando a qualidade do trabalho dos agricultores da Região. O referido caminho, uma antiga reivindicação, sobretudo, dos agricultores locais, beneficia 13 explorações agrícolas e uma área de aproximadamente 60 hectares, sendo o valor da empreitada de 117. 218,60 € . Foi adjudicada à empresa Albano Vieira, S.A. resultante de um concurso público em finais de 2017.

IROA/ES

João Ponte afirma que investir na modernização das acessibilidades às explorações agrícolas é um “desafio permanente”

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje, em São Miguel, que investir na modernização das acessibilidades às explorações agrícolas é um “desafio permanente”, que proporciona melhores condições de trabalho e mais segurança, além de contribuir diretamente para o aumento da rentabilidade das explorações.

“Investir na melhoria das acessibilidades é um desafio permanente, para responder a necessidades estruturais que ainda existem ao nível da construção de novos caminhos e da beneficiação de caminhos já existentes”, salientou João Ponte.

O titular da pasta da Agricultura falava à margem da assinatura de um contrato da IROA, S.A. com a empresa Albano Vieira S.A. para a construção e beneficiação do caminho agrícola do Portal Grosso, em São Miguel,

João Ponte salientou que há outro grande desafio, que passa pela manutenção de investimentos feitos há duas ou três décadas em caminhos de acesso às explorações agrícolas e que já começam a necessitar de intervenções.

O Secretário Regional destacou a evolução e o percurso já feito um pouco por todo o arquipélago, em termos de caminhos, abastecimento de água e eletrificação das explorações agrícolas, assegurando que, enquanto houver um caminho por pavimentar ou uma exploração sem acesso a água e eletricidade, será sempre motivo de preocupação para o Governo dos Açores.

Relativamente ao próximo quadro comunitário de apoio, defendeu a necessidade de haver um “orçamento robusto”, que permita “continuar a responder às necessidades, que resultam muito da orografia, da força e da expressão que o setor agropecuário tem na Região e que vai implicar, nos próximos anos, mais investimentos”.

“O atual quadro comunitário tem uma dotação de cerca de 22 milhões de euros para infraestruturas, melhoramento e desenvolvimento de caminhos, abastecimento de água e eletrificações das explorações, que, naturalmente, vamos aproveitar muito bem, ao serviço de um setor muito importante para a economia regional”, disse João Ponte.

O governante elogiou ainda a boa parceria que existe entre o Governo Regional e o Poder Local, no sentido de, em conjunto, trabalhar para melhor servir os agricultores, proporcionando melhores condições e infraestruturas para o desempenho desta atividade.

Dentro de poucos meses deverá estar concluída a obra do caminho do Portal Grosso, localizado no Perímetro de Ordenamento Agrário da Bacia Leiteira de Ponta Delgada, orçada em 117 mil euros, que consiste na pavimentação de uma extensão de 1.050 metros, a correção e o melhoramento de drenagens da via.

Esta intervenção assume particular importância para a atividade agropecuária do concelho de Ponta Delgada, já que beneficia a acessibilidade a 13 explorações, numa área de 60 hectares, para além de reforçar a rede de caminhos agrícolas existentes neste perímetro agrário.

GaCS/RM

Governo dos Açores investe 3,3 ME em caminhos, eletrificação e abastecimento de água às explorações agrícolas na ilha de São Miguel em 2018

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas adiantou hoje que o Governo dos Açores vai investir este ano cerca de 3,3 milhões de euros em caminhos, eletrificação e abastecimento de água às explorações agrícolas da ilha de São Miguel, criando melhores condições para o desempenho desta atividade.

“A aposta que tem sido feita em infraestruturas de ordenamento agrário um pouco por todas as ilhas é essencial para o desenvolvimento do setor agrícola e tem um impacto direto nas contas das explorações agrícolas”, afirmou João Ponte, que falava na inauguração das obras de beneficiação do Caminho da Eirinha, no Perímetro de Ordenamento Agrário de Santana-Rabo de Peixe, em São Miguel.

O governante destacou que “tanto os pequenos investimentos, como os grandes, são importantes e dão nota da política de coesão” que o Governo dos Açores tem posto em prática, proporcionando melhores condições aos agricultores, não só em termos de acessibilidades, como de abastecimento de água e de eletrificação das explorações, seja numa ilha pequena ou maior.

“Não deixar ninguém para trás está no centro das decisões políticas”, assegurou João Ponte, reconhecendo, porém, que não é possível chegar a todos os locais ao mesmo tempo, nem acudir a todas as reivindicações em simultâneo.

As obras de beneficiação do Caminho da Eirinha, um pequeno investimento que incluiu a pavimentação de cerca de 500 metros e a construção de um sistema de drenagem adjacente, beneficiam 12 explorações agrícolas, numa área de 70 hectares.

João Ponte considerou que “ter um bom caminho não significa só ter melhores condições de trabalho para os agricultores, porque pode significar também mais rendimento”, já que, no caso de instalar eletricidade e equipamentos de frio, poderá traduzir-se num melhor preço do litro de leite pago pelas indústrias.

“Na decisão futura dos investimentos a realizar em acessibilidades teremos de ter também em consideração esse tipo de critério na avaliação”, afirmou.

A IROA tem previsto investir este ano em São Miguel cerca de 530 mil euros em abastecimento de água, 105 mil euros na eletrificação das explorações agrícolas e cerca de 806 mil euros em caminhos agrícolas, enquanto a Direção Regional dos Recursos Florestais vai investir nesta ilha dois milhões de euros em caminhos rurais e florestais.

GaCS/RM

Linha de Apoio a avarias 24 horas