Governo Regional inaugurou Caminhos Agrícolas na Lagoa e Água de Pau

Ponta Delgada 25-07-2003

O secretário regional da Agricultura e Pescas inaugurou ontem a empreitada de construção e beneficiação do Caminho Agrícola CS1 do Perímetro de Ordenamento Agrário da Lagoa, e o Caminho Rural das Junqueiras, em Água de Pau, em São Miguel.

No primeiro caso, trata-se de uma obra orçada em cerca de 380 mil euros, e que foi a primeira infra-estrutura viária a ser construída pelo Instituto Regional de Ordenamento Agrário (IROA) naquele perímetro, o qual corresponde a uma área global de 1.035 hectares e abrange 827 proprietários, nas freguesias de Santa Cruz e Água de Pau.

De acordo com Ricardo Rodrigues, o Perímetro de Ordenamento Agrário da Lagoa visa a promoção do estudo definitivo e a elaboração de projectos, no sentido de levar a cabo nesta área, de forma integrada, operações de emparcelamento rural e de instalação de infra-estruturas físicas, tais como caminhos de penetração, abastecimento de água e rede de electrificação agrícola.

O governante açoriano recordou, também, que obras de abastecimento de água à pecuária e electrificação de explorações agrícolas, foram já realizadas em anos anteriores, bem como acções pontuais de beneficiação de caminhos terciários, em colaboração com a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Santa Cruz.

O Caminho Agrícola CS1, também conhecido por “Atrás dos Frades”, numa extensão de 2.300 metros, foi construído em 180 dias.

O Caminho Rural das Junqueiras, em Água do Pau, foi uma obra da responsabilidade da Direcção Regional dos Recursos Florestais.

A intervenção abrangeu um quilómetro de extensão, num caminho com 6,3 metros de largura, com piso e valetas em betão, dois poços absorventes e construção de 500 metros de muros de vedação.

A obra, que custou 123.500 euros, vem melhorar substancialmente o acesso a 21 explorações, com 400 alqueires de pastagem e 80 de floresta.

A crescente modernização das explorações, com a utilização de equipamentos de ordenha móveis, distribuidores centrífugos e auto-tanques exige caminhos rurais operacionais, e esta intervenção enquadra-se, precisamente, na melhoria da rede de caminhos de penetração que o Governo vem paulatinamente executando.

Partilhar Notícia